Polícia encontra 'acessórios para combate' em criadouro de galos para rinha em Campo Grande

Responsável pelo local afirmou que 'treinava' animais e os exportava para a Bolívia.

CVNEWS/MIDIAMAX


Foto: Divulgação/PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Campo Grande e o 10º Batalhão fecharam um local que funcionava como criadouro com 95 galos para rinhas no bairro jardim Colorado, na noite de sábado (4). As equipes verificaram que no local onde eram mantidos os animais havia um verdadeiro 'arsenal' para combate como várias esporas e biqueiras artificiais, além de tesouras cirúrgicas, gaiolas, seringas e remédios para tratamento dos ferimentos dos galos.

O proprietário, de 47 anos, afirmou que só criava os galos, os treinava e exportava para Bolívia. No entanto, segundo a PMA, os animais eram mantidos em gaiolas de madeira e de ferro, algumas extremamente pequenas, com restrição de movimentos, privação de luz solar e circulação aérea inadequada, o que se caracteriza como maus-tratos. Além disso, alguns animais apresentavam ferimentos na crista e peito e também estavam mutilados, com as esporas cortadas.

Todo o material foi apreendido, incluindo os 95 galos domésticos da espécie galo-índio (Gallus gallus domesticus). O proprietário responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais com previsão de pena de três meses a um ano de detenção. O infrator foi multado em R$ 47.500,00.

Os galos e as gaiolas ficaram sob responsabilidade do infrator como fiel depositário por não haver um local adequado para serem levados naquele momento. Assim que se consiga um local para a destinação, todo o material será recolhido. O fiel depositário precisa manter tudo como está, sob pena de prisão e nova autuação administrativa de multa ambiental.



COMENTÁRIOS