No vai e vem da frente fria, MS deve ter frio de 8°C na próxima semana

Nem Campo Grande conseguirá escapar das baixas temperaturas, com massa de ar frio considerada 'preocupante'

REDAçãO


Frio deve chegar com força em MS - Crédito: Agência Brasil/Jornal da Franca

A cena do filme 'Karate Kid', estrelado por Jackie Chan, onde ele ensina artes marciais a um garoto e cita a frase 'bota casaco, tira casaco', nunca foi tão bem representada pelos sul-mato-grossenses, que deverão encarar mais uma frente fria e que dessa vez, servirá para derrubar e, bem, as temperaturas na próxima à semana.

Entre as idas e vindas do fenômeno meteorológico, a última frente fria está servindo apenas para a formação de nuvens carregadas e consequentemente possibilitando chuvas mais torrenciais em áreas do sul, sudoeste e até centro do estado.

Até este final de semana, as temperaturas ficarão no meio-termo: as mínimas se mantendo de forma amena e o calor aparecendo durante a tarde, mas com a noite sendo um pouquinho mais fria. Tanto que em Campo Grande, nevoeiro e neblina foram recorrentes na quarta-feira (1°) e na quinta-feira (2).

O sistema Meteored ainda aponta que em algumas regiões, o calor deve superar a barreira dos 30°C no domingo (5) e assim seguirá até a terça-feira (7) da semana que vem, onde a previsão de chuva retorna e dessa vez para reduzir as temperaturas, principalmente as mínimas.

A partir dessa mudança climática, a região sul é quem vai mais sentir o friozinho inicial, com mínimas de 13°C ao longo de alguns dias. Campo Grande seguirá o mesmo ritmo, podendo iniciar a semana com mínimas de 17°C e terminar com 15°C, mas tendo o próximo semana marcando 12°C.

Cidades como Amambai, Mundo Novo, Coronel Sapucaia, terão uma média de 8°C com a nova onda de frio. É esperado que a região do Pantanal, conhecida pelo seu extremo calor, também sofra com a frente fria e tenha máximas de 20°C.

O inverno só deve começar no dia 21 de junho, mas Mato Grosso do Sul convive em uma gangorra sem fim do tradicional calor e frio, dando abertura para possíveis doenças respiratórias.

O agrometeorologista Celso Oliveira explicou ao site Climatempo, que uma massa de ar frio esperada para a segunda quinzena de junho de 2022 é preocupante. “Embora essa onda de frio cause até uma queda de temperatura no Acre e em Rondônia, na Região Centro-Oeste o efeito desta massa de ar frio deve ser basicamente em Mato Grosso do Sul e nas áreas a oeste e sul de Mato Grosso.

Considerando a intensidade, Celso avalia que sim e que passagem das massas de frio será frequente, mas nem todas serão tão abrangentes como a da segunda quinzena de maio. “Na intensidade, acho que sim. Mas não obrigatoriamente vai fazer frio o tempo todo. O frio poderá ser pior no Sul e partes do Sudeste e Centro-Oeste, especialmente em Mato Grosso do Sul'.



COMENTÁRIOS