China e Brasil testarão plano de rastreabilidade da carne bovina

BRASILAGRO


OBrasil é o principal fornecedor de carne bovina do mundo. Foto Trilux CNA

Instituiçõesdos dois países se reuniram para discutir métodos de garantir a transparência da cadeia de suprimento.

AChina, maior importadora de carne bovina do mundo, e oBrasil, principal fornecedor global, estabelecerão um projeto-piloto como parte dos esforços para tornar a produção de carne bovina mais sustentável, informou a mídia estatal chinesa nesta quarta-feira (10).

A Administração Estatal de Regulamentação do Mercado daChinase reuniu com instituiçõesbrasileiras para discutir métodos de garantir a transparência da cadeia de suprimento de carne bovina e o estabelecimento de uma plataforma de rastreabilidade transfronteiriça, informou a CCTV. A reportagem não forneceu mais informações sobre o cronograma.

Os países concordaram que um padrão global unificado seria fundamental para o sistema de rastreabilidade, o que também ajudaria a combater a falsificação de carne bovina.

No entanto, traders e analistas de sustentabilidade afirmam que os custos mais altos e os desafios logísticos provavelmente limitarão a demanda por produtos sustentáveis.

A criação de gado noBrasilestá ligada a quase 24% do desmatamento anual das florestas tropicais globais e a aproximadamente 10% do total de emissões globais de gases de efeito estufa, de acordo com a organização ambiental The Nature Conservancy.

O pasto para gado é o uso inicial mais comum para áreas desmatadas na Amazônia e no Cerrado, uma prática que enfrenta limites legais rigorosos, mas continua ilegalmente.

AChinaimportou 2,74 milhões de toneladas de carne bovina em 2023, sendo que mais de 40% foram provenientes do produtor sul-americano, de acordo com a alfândega chinesa (Reuters, 10/7/24)



COMENTÁRIOS