Defesa de Bolsonaro pede acesso a delação de Mauro Cid no caso das joias

O novo pedido foi feito ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal

CARTACAPITAL


Mauro Cid na CPMI do 8 de Janeiro. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Os advogados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) pediram para ter acesso à delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro. O documento foi protocolado no Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira 10.

No início do ano, a defesa de Bolsonaro já tinha pedido acesso ao conteúdo da delação no âmbito do processo que apura uma tentativa de golpe de Estado. Agora, o novo pedido mira no caso das joias e pede os documentos do indiciamento da PF.

“O constitucional exercício da ampla defesa somente será viabilizado caso seja franqueado o acesso aos autos de todos os feitos cujas informações ou provas tenham sido aproveitadas de algum modo nesta Petição”, justifica a defesa.

Na segunda-feira 8, o ministro Alexandre de Moraes retirou o sigilo do relatório da Polícia Federal que resultou no indiciamento do ex-presidente e outras 10 pessoas. Informações dadas pelo ex-ajudante de ordens foram utilizadas no relatório da PF.



COMENTÁRIOS