Após 20 anos usando maconha, deputado rejeita canabidiol

BATANEWS/CGNEWS


Deputado estadual Antônio Vaz (Republicanos) durante sessão na Alems. (Foto: Assessoria)

Foram aprovados 696 desfiles para o carnaval de rua de São Paulo em 2022. As informações foram divulgadas pela prefeitura em publicação no Diário Oficial de quinta-feira (30). Esse é o maior número de blocos já confirmados na capital paulista. 

O governo municipal informou que esta é mais uma etapa do planejamento para o evento, mas que a realização dele depende das autorizações dos órgãos de Saúde, conforme o cenário epidemiológico da pandemia da covid-19.

Ainda de acordo com a prefeitura, 64 desfiles não foram autorizados, dos quais 23 foram por não retornarem o contato para o envio das informações solicitadas. Os motivos dos demais cancelamentos não foram informados. 

O carnaval 2022 está previsto para os dias 26 de fevereiro a 1º de março, sendo o dia 2 de março a quarta-feira de cinzas.

Edição: Aline Leal

Primeiro passo - A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa aprovou a tramitação de projeto polêmico no Brasil. De autoria do deputado Pedro Kemp (PT), o Projeto de Lei autoriza o acesso a medicamentos e produtos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) para tratamento médico. E só teve um membro da CCJR a votar contra.

20 anos fumando – O deputado estadual Antônio Vaz (Republicanos) foi o único a negar a necessidade de acesso a medicamentos e produtos à base dos dois componentes no controle de doenças, síndromes e transtornos de saúde. A justificativa surpreendeu quem não conhecia o passado do homem que hoje é pastor. 'Sou contra, porque já fui usuário por 20 anos e eu sei que a maconha destrói uma família. Não concordo que seja usada nem para remédio'.

Ponto final - A Alems anunciou seu apoio à Campanha 'Ponto Final para o Feminicídio', em parceria com a Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça de MS. O projeto contra a violência de gênero garante que terá abordagem multidisciplinar e interinstitucional, por isso a participação do Legislativo.  O presidente da Alems, deputado Gerson Claro, foi quem oficializou a parceira. “Reconhecemos a urgência e a gravidade dessa questão, e estamos unindo forças ao Judiciário e o Executivo para enfrentar essa realidade brutal', justificou.

Alvo neles - E na última sessão ordinária, os deputados estaduais aprovaram outra matéria em segunda discussão, relacionada à mobilização contra a violência às mulheres. O projeto, apresentado também pelo deputado Pedro Kemp (PT), foi direto no alvo e fez vingar a a Semana Estadual de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência. Depois de muito falar delas, agora o papo será com eles

Festando - A semana foi morna por conta do feriado de Santo Antônio, mas a próxima tem festas na Assembleia Legislativa. A casa realizará uma sessão solene em comemoração aos 116 anos da imigração japonesa no Brasil. Proposto pelo deputado Roberto Hashioka, o evento incluirá a entrega da Comenda do Mérito 'Terra do Sol Nascente' a integrantes ou descendentes da comunidade japonesa no Estado. E tem mais, no sábado os deputados vestem o traje e comemoram festa junina.

Forró - Será a segunda edição do 2º Arraiá da Alems, com decoração caprichada como no ano passado, barracas de comidas típicas e som ao vivo de Canto da Terra e a banda de forró Flor de Pequi. Uma das diferenças é que este ano haverá campanha para arrecadar produtos em prol do Rio Grande do Sul (RS).

Coração apertou - Depois de 16 meses o advogado sul-mato-grossense Mansour Elias Karmouche se despediu da função de representante da Ordem dos Advogados do Brasil no Conselho Nacional de Justiça. Na despedida, só recebeu elogios. “A partida de Vossa Excelência deste Conselho deixa um vazio no coração de todos nós que aprendemos a conviver com sua simpatia, talento e urbanidade e civilidade, que são virtudes que rareiam no mundo contemporâneo e que aliás nós precisamos resgatar', disse o presidente do colegiado, ministro Luís Roberto Barroso.

Obrigado - Emocionado, Karmouche retribuiu o carinho e agradeceu a colaboração de todos. “Saio com a sensação do dever cumprido e muito feliz porque aprendi muito e pude contribuir para fazer com que a advocacia e a sociedade possam compreender a importância do CNJ que vem sendo tão bem liderado pelo ministro Barroso. O CNJ nas mãos do ministro Barroso é um CNJ que faz', discursou na última terça-feira.

Salário - A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, participou de uma audiência pública na Comissão Mista de Orçamento para discutir o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2025 e acabou levantando uma bandeira que ainda vai dar pano pra manga. A ministra abordou a necessidade de revisão das vinculações do salário mínimo com benefícios sociais, além de comentar sobre as renúncias fiscais e o aumento do deficit da Previdência.

Mulherada - Pela primeira vez na história, duas mulheres foram empossadas como delegadas da Alfândega da Receita Federal em Corumbá, o que foi motivo de comemoração e muita divulgação. Flávia Reinaldo Mesquita Andrade assumiu o cargo de delegada, enquanto Tatiane Laranjo Amadeu Suhogusoff foi empossada como delegada adjunta.



COMENTÁRIOS