Empresa 'fantasma' e novo alvo: os próximos passos da investigação de intermediário do Corinthians

Alex Cassundé, sócio da intermediária do contrato entre clube e VaideBet, será o próximo a ser ouvido pelas autoridades; mulher que procurou Edna Oliveira dos Santos também é investigada

GLOBOESPORTE.COM / JOSé EDGAR DE MATOS


Delegado explica investigação sobre suposto 'laranja'

Para saudar 2022 em ritmo de boa música e em alto astral, a TV Brasil apresenta o espetáculo que premiou os vencedores do 13º Festival de Música da Rádio Nacional FM na primeira noite do ano, neste sábado (1), às 22h30.

Com o melhor do som produzido no cerrado, o show foi realizado no Teatro da Caixa Cultural, em Brasília. A iniciativa valoriza os artistas do Distrito Federal e Entorno e oferece espaço para divulgação dos seus trabalhos na programação da rádio.

Realizado no final de novembro, o evento foi apresentado, ao vivo, pela Rádio Nacional. O espetáculo também teve transmissão pelas redes sociais dos veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que faz a gestão das emissoras públicas de rádio e televisão.

Os músicos finalistas concorreram em oito categorias. Os artistas disputaram seis reconhecimentos técnicos: Melhor Música com Letra, Melhor Música Instrumental, Melhor Intérprete Vocal, Melhor Intérprete Instrumental, Melhor Letra e Melhor Arranjo. Também foram agraciados a Música Mais Votada pela Internet e a Torcida Mais Animada.

O Festival bateu recordes na edição de 2021 com 445 músicas inscritas. A partir dessa relação, saíram as 50 semifinalistas que tocaram na Nacional FM durante dois meses. O concurso também superou as marcas anteriores de votação popular ao alcançar a histórica escala de mais de 30 mil votos na primeira fase que ajudaram a selecionar as 12 concorrentes que participam do Show da Final.

Além das apresentações dos finalistas, o especial exibido na telinha da TV Brasil ainda traz um pocket show com a Banda Base do Festival, comandada pelo maestro Marcos Farias. Os artistas se apresentaram no palco enquanto o júri estava reunido para definir os ganhadores.

A primeira edição de Festival de Música Nacional FM foi realizada em 2009. A iniciativa consolidou uma série de ações em apoio à cultura, aos artistas e à música de Brasília.

Desde então, o evento já foi realizado em auditórios ilustres como o Teatro do Sesc DF, no Silvio Borgato do Setor Comercial Sul, Teatro Garagem da 913 Sul, CCBB e Cine Brasília. Desde 2015, os Shows da Final são realizados no Teatro da Caixa Cultural Brasília, parceria importante já assegurada nas últimas sete edições.

Em sua 13ª edição, o Festival se manteve fiel a sua essência, que é abrir espaços para a execução de músicas de artistas de Brasília na programação da Nacional FM e reunir os finalistas em musicais de alta qualidade, gravados pela TV Brasil para exibição em sua programação especial de fim de ano.

Acompanhe a programação da TV Brasil pelo canal aberto, pela TV por assinatura e por parabólica. Sintonize: tvbrasil.ebc.com.br/comosintonizar.

Seus programas favoritos estão no TV Brasil Play, pelo site play.ebc.com.br ou por aplicativo no smartphone. O app pode ser baixado gratuitamente e está disponível para Android e iOS. Assista também pela WebTV: tvbrasil.ebc.com.br/webtv e nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok.

Edição: -

A investigação sobre a presença de um "laranja" na intermediação do contrato da antiga parceria entre Corinthians e VaideBet avançou na última terça-feira. Depois do depoimento de Edna Oliveira dos Santos, tratada como possível vítima de fraude, a investigação vai ouvir mais nomes e focar em duas empresas envolvidas: Rede Social Media Design e Neoway Soluções Integradas

+ Siga o canal ge Corinthians no WhatsApp

Na semana que vem, Alex Cassundé, sócio da Rede Social Media Design, deve ser ouvido na capital paulista pela Polícia Civil.

Enquanto não marca o depoimento do intermediário do contrato com a VaideBet, os investigadores avançam em duas frentes: pedir a suspensão da empresa “laranja' e acolher Edna Oliveira dos Santos. A Polícia também busca informações sobre uma mulher chamada Ana, que entrou em contato com Edna depois que o caso começou a aparecer no noticiário (leia mais abaixo).

Mais notícias do Corinthians: + Vice diz que alertou Augusto sobre suposto "laranja" + Citada como "laranja" estuda processar o Corinthians + Marcelo Paz diz que vai responder a convite do Timão + Clube nega irregularidade após insinuação de Augusto

O caso está sob cuidados do Departamento de Polícia de Proteção a Cidadania (DPPC) e da terceira delegacia, responsável por casos de lavagem de dinheiro.

+ Leia mais notícias do Corinthians

O delegado encarregado é Tiago Fernando Correia, que explicou os próximos passos da investigação na terça-feira, em entrevista concedida no 1º DP de Peruíbe, após o depoimento de Edna Oliveira dos Santos.

Empresa "laranja" na mira, e Edna vítima

A conclusão do delegado é que Edna não possui qualquer relação comercial com a Neoway Soluções Integradas, empresa suspeita de ser “laranja' ao ter recebido dois pagamentos de R$ 500 mil e R$ 400 mil da Rede Social Media Design, que recebeu R$ 1,4 milhão por intermediar o contrato entre clube e casa de apostas.

Assim, as autoridades querem a suspensão das atividades da empresa com a conclusão que se trata de uma agência “fantasma'.

– Eu me prontifiquei com os advogados (de Edna) a não só solicitar a Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo) a suspensão e o cancelamento do registro destas empresas, como também oficiar o Governo Federal, informando tudo o que está acontecendo com ela – declarou.

– Ela não constituiu, ela não sabia da existência dessas empresas, ela não tem ligação com qualquer pessoa relacionada à nossa investigação nesse estágio em que ela se encontra. As nossas conclusões hoje, com o depoimento formal da Edna, é de que, de fato, ela é uma vítima de tudo isso – acrescentou o delegado.

Agora, o inquérito vai entender como funcionou a criação da empresa de fachada.

– Com o depoimento dela formalizado, nós temos a plena convicção de que a Neoway, especialmente a Neoway, e a outra MEI constituída em nome dela são empresas de fachada. Agora, nossas suspeitas se confirmam no sentido de que as duas empresas foram constituídas para a prática de lavagem de dinheiro de algum lugar – sentenciou.

– Precisamos entender quem criou essas empresas. Os advogados dela solicitaram que a gente oficiasse o Gov.br e a empresa responsável pelo certificado digital porque a Neoway foi constituída de um certificado digital. Precisamos oficiar a empresa para que nos esclareça quem fez, de onde partiu, a geolocalização, o histórico de acesso, o IP da máquina que fez a formalização da constituição da Neoway – concluiu.

“Bolsa Família' bloqueado e indício de roubo de dados

Segundo indícios da investigação, Edna possivelmente teve os dados roubados por intermédio do benefício do Bolsa Família, programa do Governo de transferência de renda para pessoas carentes. Esta é a única renda da mulher usada como possível “laranja' do caso.

Diante disso, ela teve o pagamento bloqueado nos últimos dias, já que o email da Neoway passou a constar no seu cadastro.

– Para nossa surpresa, a senhora Edna nos mostrou o print do aplicativo Bolsa Família e esses malfeitores conseguiram, inclusive, cadastrar o e-mail da Neoway no aplicativo Bolsa Família. Isso, dias atrás, acabou inviabilizando que ela recebesse o benefício – comentou.

– De fato eles podem ter obtido os dados dela nesses programas assistenciais, seja o Bolsa Família ou mesmo o Auxílio Emergencial da pandemia – acrescentou o delegado.

Quem é Ana?

Além de Edna e de Alex Cassundé, uma terceira pessoa será intimada nos próximos dias. A Polícia tem apenas informações preliminares sobre uma mulher chamada Ana, que teve contato com Edna depois de notícias a relacionarem com o caso das suspeitas sobre repasses da intermediária.

– Edna identificou a mulher com a foto que mostramos. Essa mulher se identificou como Ana; essa pessoa será intimada para prestar depoimento. Edna comentou que ela fez perguntas relacionadas ao fato, à empresa, mas que Edna não soube esclarecer nada – disse o delegado.

Ana procurou Edna depois dos pagamentos repassados pela Rede Social Media Design à Neoway. Foi a única pessoa até então a questionar a mulher residente em Peruíbe sobre o dinheiro repassado para a empresa desconhecida.

– Importante dizer que ela não foi procurada por mais ninguém. Não temos tantas informações sobre essa Ana, mas sabemos que ela mora em São Bernardo do Campo e será intimada para esclarecer se tem relação com alguém ou se foi solicitada por alguém para falar com ela – acrescentou.

E o Corinthians?

Não há indícios até o momento da participação ilícita de alguém do Corinthians neste caso, ainda em fase preliminar. Membros da diretoria devem ser ouvidos na próxima fase da investigação.

– O Corinthians neste momento preliminar temos como uma potencial vítima – encerrou Tiago Fernando Correia.

???? Ouça o podcast ge Corinthians????

+ Assista: tudo sobre o Corinthians na Globo, sportv e ge



COMENTÁRIOS