Escolas estaduais realizaram eleições dos grêmios estudantis em todo MS

CVNEWS/REDAçãO ASSESSORIA


As escolas estaduais de Mato Grosso do Sul realizaram a eleição do Grêmio Estudantil, que atua na defesa dos interesses individuais e coletivos dos estudantes, agindo como a voz dos mesmos na escola e permitindo que eles exercitem a cidadania desde a infância, participando ativamente das ações e decisões da comunidade escolar.

Para a diretora da escola José Mamede de Aquino, em Campo Grande, a adesão dos alunos representa o desejo de participarem mais ativamente das atividades escolares, levando até a direção e professores os anseios e dificuldades dos estudantes, como também ideias e propostas para a melhoria do relacionamento entre os alunos e o corpo docente.

'Com o Grêmio os alunos ficam mais empolgados em participar das atividades que a escola oferece, como por exemplo dos jogos interclasses, além disso eles se sentem mais seguros em falar quando alguma coisa não está bem com a comunidade escolar', afirma Juliana da Silva.

Na José Mamede os estudantes puderam escolher entre seis chapas homologadas para a eleição, com o período de campanha acontecendo entre os dias 21 a 27 de março. Os candidatos puderam apresentar suas propostas na escola e, no dia 1º de abril, foi realizada uma assembleia geral com debate entre as chapas. A eleição ocorreu em 2 de abril, terça-feira.

'Eu vejo o grêmio como a nossa voz, as coisas que nos incomodam, as melhorias que queremos na escola vamos passar ao Grêmio e eles levarão para a diretoria, eles na verdade são uma ponte entre os alunos e a direção', afirma Maria Eduarda Domingues, aluna do 2º ano da José Mamede.

Já na Escola Estadual José Antônio Pereira, também em Campo Grande, cinco chapas foram homologadas para a eleição, segundo a diretora Melissa da Silva Escobar. Os candidatos ficaram bastante empolgados e engajados com a formação do Grêmio e puderam apresentar para a comunidade escolar suas propostas.

'O Grêmio é uma representação dos alunos com a direção, nem mais que os alunos e nem menos, mas é uma voz ativa junto com a gestão, criticando, pleiteando, auxiliando, ajudando. É o exercício da cidadania, notamos neles o interesse por participar e atuar junto conosco', explica Melissa.

Maria Luíza Mecenas e Carlos Eduardo Martins da Silva, ambos estudantes do 3º ano do Ensino Médio da José Antônio Pereira, apontaram o Grêmio Estudantil como a representação dos alunos junto a direção e que a eleição já os prepara para a sociedade como um todo.

'O Grêmio é nossa voz, eles levam nossas questões aos professores e a direção', disse Maria Luíza. Já Carlos Eduardo vê o Grêmio como um 'preparo para exercer sua cidadania já dentro da escola, podendo escolher seus representantes', afirma o aluno.

De acordo com Adalberto Santos do Nascimento, coordenador de Gestão Escolar da SED (Secretaria de Estado de Educação), o Grêmio Estudantil dentro de uma escola serve para dar vez e voz aos estudantes e também é uma questão de representatividade.

'O Grêmio assume um protagonismo onde o jovem vai ter um momento não só de representar os alunos na escola, mas também trazer as demandas dos estudantes para a comunidade, para que ele se sinta ouvido e também suas reivindicações atendidas. Além disso, ele surge como mais uma entidade que ajuda a direção escolar', explica Adalberto.

Alunos cursando a partir do 6º ano puderam participar das votações. Para compor a chapa, é necessário que o estudante esteja pelo menos no 8º ano. As eleições aconteceram nas escolas dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, com a cerimônia de posse dos eleitos ocorrendo já na sexta-feira (5).

Jackeline Oliveira, Comunicação SED Fotos: Ricardo Agra/SED e Arquivo Escolar



COMENTÁRIOS