Paraguai intercepta carga milionária de ecstasy destinada ao Brasil

Droga sintética estava em pacotes de ração de cão e gato, despachados de Londres

CVNEWS/CGNEWS


Agentes da Senad mostram unidades de ecstasy retirados de pacote de ração (Foto: Divulgação)

Pelo menos 26 mil doses das drogas sintéticas ecstasy e MDMA foram apreendidas nesta quarta-feira (24) no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, em Asunción, capital do Paraguai.

Avaliado em pelo menos 1 milhão de dólares, o entorpecente estava em pacotes de ração de gato e cão, despachados de Londres, na Inglaterra, e da Áustria. A Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai acredita que o destino final seria o mercado brasileiro.

Os dois pacotes foram detectados pelo controle aeroportuário feito pela Senad em conjunto com a Dinac (Direção Nacional de Aeronáutica Civil) e Aduana paraguaia. A cadela farejadora Lala ajudou a localizar a droga.

Na presença do juiz de garantias Gustavo Amarilla e dos promotores Osmar Segovia e Pamela Perez, os pacotes foram abertos. A primeira encomenda, proveniente da Áustria, tinha 12,1 quilos de MDMA (24,2 mil doses) entre a ração de cachorro.

O outro pacote, de ração de gato despachado de Londres, tinha 1.976 doses de ecstasy. Segundo investigações da Senad, a droga sintética seria destinada aos grandes centros brasileiros, para ser comercializada durante o Carnaval.

Segundo a empresa Toxicologia Pardini, o MD é considerado “versão melhorada' do ecstasy. Conhecido como “droga do amor', a “balinha' é apontada como uma das substâncias mais perigosas já desenvolvidas em laboratório e pode inclusive levar à morte.



COMENTÁRIOS